1492, Anacaona a insurgente das Caraibas

Ilustrações – romance ilustrado – ed. Anacaona

escrito por Paula Anacaona, ilustrado por Claudia Amaral

Romance illustrado. Como os povos originários viveram a “descoberta” das Américas? Escutemos a voz dos colonizados.

Europa e América viviam de um lado e outro do oceano, ignorando-se mutuamente a existência uma da outra., até seu encontro em 1492, quando Cristovão Colombo descobre as Antilhas.

Anacaona reina então sobre os reinos de Haïti. Ela e seu povo Taino acolhem os espanhois com cordialidade, amizade e respeito. Porém os espanhois tramamm um projeto colonizador. eles desestruturam a sociedade Taino, destruindo lugares de culto, impondo um novo modo de vida… Deliberadamente, eles exterminam o povo e sua cultura.

Menos de um século após este encontro, os Tainos desapareceram totalmente de Haiti e das Caraibas – deixando espaço para a deportação massiva de africanos para servir de mão de obra.

A memória escondida dessa exterminação porém não desapareceu. Pela voz de Anacaona, reviva a história dos Tainos, primeiro povo das Antilhas – Guadaloupe, Martinica, Cuba, Porto Rico e evidetemente Haiti…

Muito já foi dito sobre esta conquista – mas pela voz dos colonizadores. Escutemos dessa vez a dos colonizados: sua tentativa de adaptação, sua desesperança, sua resistência. Contando a história de Anacaona, de Caonabo, de Ixil, de Chilam, é todo um povo qui volta à vida e entra na memória coletiva.

Cinco séculos depois, o espírito da resistência e da determinação de Anacaona continua sendo uma fonte de inspiração para os povos do mundo inteiro.

« Bem-vindo à Ayiti, a terra das altas montanhas! Sou Anacaona, princesa e rainha Taino; mulher, filha e irmã feliz, cheia de vida… »

O livro em francês está à venda nos sites da editora francesa**:https://bit.ly/2vIOlMa**
da FNAC, ou Amazon França.

Volta às publicações

Copyright © 2022 Claudia Amaral